A vida de Polly Waterford, sempre tão milimetricamente planejada, acaba indo por água abaixo de uma hora para a outra: ela perde a empresa em que tanto se empenhou, o namorado de anos que achou que fosse o amor de sua vida e o apartamento dos seus sonhos que achou que viveria para sempre.

Com pouco dinheiro e se sentindo perdida, ela resolve se mudar para o pequeno povoado de Mount Polbearne, uma vila à beira mar meio esquecido e inacessível (dependendo da maré).

Sozinha e sem ter o que fazer, Polly acaba se entregando a sua maior paixão: fazer pães. Aos poucos, suas iguarias vão conquistando os moradores do vilarejo e mudando a vida de Polly, daquele lugar tão pacato e das pessoas que lá vivem.

A padaria dos finais felizes

Jenny Colgan

Uma característica comum dos livros da Jenny Colgan é que ela sempre conta histórias de superação e mudança de vida. Não são histórias dramáticas, pesadas ou fantásticas, são apenas pessoas comuns que estão passando por problemas comuns e que, de alguma forma, vão em busca de seus sonhos (também comuns), e acabam mudando a sua vida e a de outras pessoas ao redor.

No começo desta leitura, eu estava achando a fórmula da história parecida com a de outra obra da autora, “A pequena livraria dos sonhos”, também lançado pela Editora Arqueiro em 2019. Mas, lá pela metade do livro, a história mudou de direção e me surpreendeu demais.

Polly era uma personagem muito carismática, muito gente como a gente (claramente precisando de terapia, meio perdida na vida, sendo pressionada pelos padrões da sociedade…) e de quem eu facilmente me tornaria amiga. Justamente por isso, as mudanças que ela passa e as situações que ela enfrenta nos fazem refletir, pensar na nossa própria vida e amadurecer junto com ela.

Já adianto: não vá esperando uma história cheia de plot twists e muito choro, não é esse tipo de livro. Também não vá achando que é uma grande história de amor (apesar de termos romance sim). Esse livro é uma jornada de autodescoberta de uma pessoa comum e por isso é tão importante para nos inspirar e fazer refletir.

Vale ressaltar que durante e depois da leitura dessa história me tornei uma pessoa levemente obcecada por pães de fermentação natural e passei a procurar esse tipo de produtos com frequência. Vocês já provaram um pão desse tipo?

8 thoughts on “Resenha | A padaria dos finais felizes, de Jenny Colgan

  1. Avatar
    Pamela Boing dos Santos says:

    Amiga, eu amei essa leitura, que foi mais uma realizada por tua causa né. E sofri horrores com aquela cena que já falamos. Obrigada por isso haha

  2. Avatar
    Marcelli says:

    Quero muito ler esse livro por tua culpa e desse post ai! Ahahaha Amei você ter se tornado uma doida por pães de fermentação natural por causa dele!

Deixe uma resposta