Para os autores iniciantes, saber as diferenças entre a publicação tradicional, comercial e independente é muito importante, pois é necessário entender o processo e as vantagens e desvantagens de cada modelo para escolher qual deseja seguir.

Hoje, vou explicar um pouquinho como como cada tipo de publicação funciona. Vem comigo!

Publicação Tradicional

A publicação tradicional é o sonho de muitos escritos. Isso acontece porque é o modelo onde o autor não arca com nenhum custo para a produção do seu livro. Além disso, existe uma editora por trás para ajudar na divulgação e distribuição da obra.

Neste caso, ao comprar os direitos de publicação, a editora cuida de todos os processos e custos para que o livro fique pronto e disponível para a venda. Esses custos incluem revisão, diagramação, capa, divulgação e muito mais. O autor, em troca, recebe uma porcentagem de royalties pelos livros vendidos.
Parece o ideal, não é?! Porém, conseguir um contrato de publicação tradicional não é fácil, visto que a editora precisa acreditar que seu livro trará lucro para poder fazer o investimento.

Esse processo de seleção de obras, acordos comerciais e até o livro de fato ficar pronto pode levar anos. No entanto, para o autor que não tem pressa, financeiramente é o caminho ideal, já que ele não precisa tirar do próprio bolso. Porém, é importante lembrar que, como é a editora que está fazendo o investimento, muitas vezes as decisões finais (como capa, por exemplo) são dela e não do autor.

Caso tenha interesse em submeter sua obra para avaliação das editoras tradicionais, não deixe de conferir o regulamento de cada uma delas em seu site. Além disso, é importante que envie o manuscrito somente para aquelas editoras e selos que correspondam ao gênero de sua obra.

Em alguns casos, como o Grupo Editorial Record, você pode encontrar as informações para o envio de seu original no site. Já nas editoras Intrínseca, Cia das Letras e Rocco, você pode enviar um e-mail para se informar.

Publicação Comercial

Vejo muitos autores que confundem uma editora comercial com a gráfica. Vamos esclarecer isso!

Uma editora comercial é uma prestadora de serviços. Ou seja, ela irá cuidar de toda a produção, distribuição e divulgação do livro, porém, sem arcar com quaisquer custos.

Ao contatar editoras comerciais, elas irão passar ao autor seus planos e orçamentos, especificando volume de tiragem e todos os serviços que inclui. É bem diferente de uma gráfica, que apenas imprime os livros. Uma editora comercial tem conhecimentos sobre o que está em alta no mercado e irá ajudar o escritor em cada processo, além de poder incluir a obra em livrarias, Amazon e afins.

Diferente da editora tradicional, uma editora comercial irá colocar a decisão do autor acima de qualquer coisa, pois é ele quem está fazendo o investimento. Então, apesar de aconselhar e dar dicas para que a obra seja o mais comercial possível, a decisão final é do autor.

Publicação Independente

No caso da publicação independente, o autor precisa cuidar de todas as etapas sozinho. Isso pode parecer trabalhoso, mas, conhecendo profissionais no mercado e de confiança, acaba sendo mais fácil do que parece.
Aqui, o dono da obra precisará contratar um revisor (ou revisar ele mesmo, o que nem sempre é aconselhável, já que ficamos viciados no texto após muitas releituras e deixamos escapar algumas coisas), um diagramador, um capista e uma gráfica.

Ele também será responsável por todo o marketing e venda de seu livro. Se você já tem um público fiel, é mais fácil.

Em relação ao dinheiro, sabemos que o custo pode pesar. Uma maneira de aliviar esse peso é fazendo uma campanha de crowdfunding por exemplo, arrecadando o dinheiro necessário para a publicação.

Com meu livro De Repente Nós Dois, eu criei uma campanha de crowdfunding no site Kickante (outra opção conhecida é o Cartase). Lá, eu fiz uma pré-venda do meu livro e arrecadei o suficiente para fazer uma tiragem e cobrir todos os gastos de produção. Você também pode fazer isso. Criar uma campanha de pré-venda e incluir brindes, e-book, frete e mais. Basta você ter os valores de todos os orçamentos e colocar o preço de acordo com os custos que terá.

Na campanha, as pessoas escolhem o pacote que desejarem e fazem o pagamento, sabendo que irão receber o livro e os brindes na data que você deixar claro na descrição, o que pode ser em um, dois, três meses e por aí vai.

E aí, as diferenças entre os três modelos ficaram claras? Já tiveram experiência em algum ou mais de um deles?

Deixe uma resposta