Resenha:

Quem me conhece sabe que O Safado do 105 é um dos meus livros favoritos da vida. Isso porque ele é muito além do que parece. Apesar de ser um livro erótico, a profundidade da história é incrível e mexeu comigo de muitas formas, especialmente por estar perfeitamente entrelaçada com as frases da Clarice Lispector que tanto amo.

Por essa enorme paixão que sinto pelo O Safado do 105, confesso que fiquei com receio de não gostar tanto de O Canalha do 610. E é com muito alívio e alegria que digo que esse receio ficou para trás já nos primeiros capítulos.

❝Nosso lar não são as paredes, são as pessoas que amamos.❞

Em O Canalha do 610, iremos conhecer melhor o famoso Carlos, irmão mais velho do Calvin (acharam mesmo que eu ia dar spoiler do nome do nosso Safado? No way! Hehe). Também conheceremos Manu, melhor amiga de Caju (vulgo Carlos) e uma garota bissexual que decide dar uma chance para os homens depois de ser traída pela namorada.

Manu e Carlos se conhecem desde pequenos e a amizade deles é linda e cheia de sinceridade. Depois de pegar a traição, Manu acaba se mudando pra casa do amigo, onde eles se aproximam ainda mais. Ambos sofrem com a perda da família e encontram um no outro um refúgio para todas as dores e problemas. Além do mais, ambos são divertidíssimos e bem safados (goxtamos!). O livro é uma mistura equilibrada de risadas e muita tensão sexual.

❝O mundo inteiro parece mudar de perspectiva quando amamos alguém.❞

Adorei acompanhar a história desses dois, desde a parceria e cumplicidade, até quando as coisas começam a mudar e se tornar mais intensas, depois de um dia de bebedeira em que ultrapassaram uma linha que jamais teria volta.

Foi ótimo também rever Raíssa e Calvin e acompanhar a nova vida deles. E claro que teremos novas citações de Tia Clarice para deixar aquele quentinho no coração.

O Safado do 105 continua sendo meu favorito, mas eu não posso negar que O Canalha do 610 ganhou um espacinho no meu coração.

Deixe uma resposta