Escrever, diferente do que muitos pensam, não é só para aqueles que tem o tal “dom”. Assim como muitas áreas de nossa vida, a escrita pode ser aperfeiçoada com o tempo e a prática.

Na minha opinião, escrever é algo pessoal e íntimo entre você e você mesmo. É um momento em que você coloca sua alma, sentimentos e pensamentos para fora. Uma maneira de extravasar emoções, histórias e ideias, seja no formato que for.

O que importa é que você está colocando um pedaço de si à mostra, de uma forma que poderá ser compartilhada entre milhares de outras pessoas para que se identifiquem com suas palavras e se apaixonem por elas.

Porque, para mim, se apaixonar por algo é isso: identificação.

Na matéria de hoje, quero dar algumas dicas de escrita para autores iniciantes e que não sabem ainda como começar. Vale lembrar que, como disse anteriormente, o processo de escrita é algo pessoal e não é porque algo funciona para um que irá funcionar para outro.

Ainda assim, vamos lá!

1) Decida o que e como você quer escrever

  • Formato (conto, crônica, poesia, romance, novela, ensaio, etc)

Se você está começando agora, não se force a escrever algo grande e complexo. Vá devagar, com simplicidade, respeitando seu momento de descoberta. Comece pensando que tipo de narrativa deseja seguir. Poemas, contos ou crônicas podem ser mais fácil para ir conhecendo sua forma de escrita.

  • Gênero (romance, drama, suspense, terror, etc)

De início, siga seu gosto pessoal. Se você gosta e consome com regularidade livros de romance contemporâneo, pode se sentir mais à vontade iniciando por esse gênero. Sair da caixinha é bom para qualquer autor, mas você pode ficar nela se está em processo de entendimento e exploração.

  • Tempo verbal (pretérito perfeito, passado imperfeito, etc)

A escolha do tempo verbal é importante para que você entenda como estruturar as ações, reações e suas durações. Analise as opções e veja com qual tempo verbal você se sente mais confortável.

  • Mensagem

Que mensagem você quer passar? Onde você quer chegar? Uma dica é estudar sobre a Jornada do Herói para entender as etapas de uma história, desde o início até o clímax e a finalização.

 

2) Estude e se inspire nos seus autores favoritos

  • Um exercício legal que você pode fazer é desconstruir obras que você gosta. Destrinchar histórias e contar do seu ponto de vista ou como você imaginava que poderia ser. As fanfics são um bom exemplo dessa prática e ajudam muito quem está começando a carreira como escritor.
  • Entenda o que você admira no trabalho de seus autores favoritos. Estude como os plots, personagens e linhas do tempo foram criados. O que fez com que prendesse sua atenção do início ao fim? O que te fez sentir aquelas emoções durante a leitura?

 

3) Mantenha um cronograma ativo de escrita

  • Reserve um tempo para se dedicar à escrita no cotidiano. Nem sempre conseguimos escrever todos os dias e tudo bem! O importante é que, quando você estiver sentado em seu computador criando algo, mantenha seu foco ali e não se permita dispersar. Deixe o celular longe e tente se isolar em algum lugar silencioso para organizar os pensamentos.
  • Há autores que só conseguem escrever em determinados horários. Eu, por exemplo, só consigo produzir pela parte da manhã. Porém, conheço amigos escritores que só produzem de madrugada. É algo pessoal e vai de cada um, mas descubra qual a melhor hora do dia para você e reserva esse momento para sua escrita.

 

4) Monte um esqueleto e pense como seus personagens

  • Também há autores que criam todo o esqueleto do enredo antes de começar a escrever a história de fato. Montam uma linha do tempo, os personagens e suas relações, características, personalidades e por aí vai. É uma boa forma de evitar furos na história. Eu sou um desses autores. Dessa forma, sinto que há um caminho previamente determinado para percorrer, sabendo por cada cena que irei passar até chegar ao final que imaginei. Porém, ao fazer isso, não podemos nos engessar. É comum que algumas cenas mudem, pois, muitas vezes, nossos personagens tomam vida e agem por conta própria (pode parecer esquisito e assustador, mas, acontece!). Neste caso, sinta-se livre e desimpedido para mudar de rumo. O importante é que a ações e reações façam sentido.
  • No entanto, se você sente que produz melhor se deixando levar pelo momento sem qualquer planejamento, tudo bem também! Só preste atenção para que não haja furos em sua história ou personagens esquecidos durante a trama.

 

5) Encontre harmonia

  • Cuidado para não exagerar em narrações e se esquecer dos diálogos. Ou vice-versa. Procure encontrar um equilíbrio entre os dois a fim de evitar perder a atenção do leitor. O importante é manter o ritmo e o foco de quem está lendo.

 

6) Lembre-se que ninguém agradou gregos e troianos

  • Agradar a todos é impossível e, acredite, até mesmo grandes autores mundiais já receberam críticas e “nãos”. O importante é que você acredite em sua história e busque sempre melhorá-la de alguma forma. Busque leitores betas e leitores críticos para te ajudarem e entender os pontos fortes e fracos de sua história e personagens. Analise o feedback e pesquise maneiras de aprimorá-los. Escrever é um processo e todos nós começamos com vícios de linguagem e um pouco perdidos.

 

7) Tudo vem com o tempo, mas requer esforço

  • A experiência e conhecimento vêm com o tempo, porém, não deixe de estudar e ler o máximo possível. Existem muitos livros sobre técnicas e dicas de escrita, como Sobre a escrita: A arte em memórias do Stephen King, por exemplo.

 

A verdade é que eu poderia colocar 50 dicas aqui, mas, o mais importante é que você acredite em você e não desista. Escrever não é fácil e dificilmente sua primeira obra será um best-seller, mas é vivendo que aprendemos e chegamos lá 😉

Deixe uma resposta