Resenha:

Antes mesmo de ler esse livro, todo mundo me avisou que ele era do tipo 8 ou 80. Ou você ama ou você odeia.
Bom, antes de mais nada, preciso dizer que discordo disso, porque ao mesmo tempo que gostei da leitura, ela me feriu em diversos momentos. Talvez eu esteja em 50% no final das contas.
Mas, antes de tudo, vocês precisam entender que esse livro da Colleen Hoover é diferente de todas as suas outras obras e ela deixa isso mais do que claro em sua nota inicial. POR FAVOR, LEIAM A NOTA ANTES DE LER O LIVRO!
Isso acontece porque em Tarde Demais vamos nos deparar com um conteúdo pesadíssimo que inclui estupro, relacionamento abusivo e muitos gatilhos. Ou seja, você precisa estar psicologicamente preparado para a leitura, além de ter maturidade para entender que muitos pensamentos descritos são errados pra caramba.
 

❝Acho que essa é a diferença entre ser amada do jeito certo e do jeito errado. Ou você se sente amarrada a uma âncora… ou sente que está voando.❞

 

Falando sobre a história, iremos conhecer Sloan, uma jovem que entra e aceita estar em um relacionamento completamente abusivo com Asa, um traficante de drogas muito filho da puta, para conseguir pagar o tratamento do irmão. Um dia, de repente, durante sua aula de espanhol, ela conhece um homem misterioso e divertido chamado Carter, sem saber que era um policial disfarçado e com a missão de prender Asa.
Sloan e Carter vão se aproximando e a química entre os dois é instantânea. Porém, senti que faltou um pouco mais de sal na relação deles dois, não vou negar. Em contrapartida, vamos acompanhando como Asa trata Sloan e vive sua vida sem escrúpulos ou regras, com seus ideais machistas e perturbados.
❝Vivo neste planeta há vinte anos, e esta é a primeira vez que sinto alguém realmente se importar comigo.❞
A protagonista tem uma vida de merda (sério, não existe palavra melhor do que essa para descrever a situação da garota), mas é descrita como uma personagem muito esperta, algo que, em muitos momentos discordei. Sim, ela é esperta em diversas cenas, mas a achei muito ingênua em outras, especialmente quando queria vitimizar Asa por suas atitudes apenas por ter tido uma infância conturbada.
Nada. De novo: NADA é motivo para um homem estuprar ou machucar uma mulher. Então isso foi algo que me incomodou bastante durante a leitura, pois Sloan tinha uns pensamentos que me fazia querer sacudir seus ombros e dizer “NÃO, ISSO NÃO É CERTO! ISSO NÃO É ACEITÁVEL, CACETE!”
❝O amor não deve ser mais um peso. Deve fazer você se sentir leve como o ar.❞
Porém, preciso avisar que Colleen nunca decepciona em relação a escrita. Sim, é uma leitura que precisa ser feita com muito cuidado e um olhar analítico, mas nem por isso deixou de me prender do início ao fim. A trama é boa e envolvente, daquelas que nos faz prender o ar pela angústia do que vai acontecer em seguida. Fiquei envolvida demais com a história e com as visões dos três personagens (Sloan, Carter e Asa), desmembrando cada cena e cada pensamento íntimo que eles tinham.
Na minha opinião, o livro poderia ter acabado após a palavra “Fim”, mas a autora incluiu diversos epílogos que poderiam ser descartados, apesar de trazer algumas reviravoltas inesperadas e interessantes.
Agora, me contem, já leram esse livro? Você é do tipo do 8%, 80% ou 50%?

Deixe uma resposta