Assassinato e sinais misteriosos em uma trama para fãs de Stranger Things e Stephen King.
Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes.
Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.
Alternando habilidosamente entre presente e passado, O Homem de Giz traz o melhor do suspense: personagens maravilhosamente construídos, mistérios de prender o fôlego e reviravoltas que vão impressionar até os leitores mais escaldados.

O Homem de Giz

C. J. Tudor

Assim como a sinopse descreve, ao começar o livro, me senti no universo de Stranger Things. O grupinho de amigos que se envolve em mistérios e aventuras, descreve essa trama cheia de reviravoltas.
A história é contada por Eddie, um garoto pra lá de peculiar, que vive na pequena cidade de Anderbury. Ele nos detalha os acontecimentos de 1986, e 20 anos depois, quando ele e seus amigos ainda são assombrados pelos acontecimentos daquele ano. O que começou com uma brincadeira em forma de desenhos de homenzinhos em giz, se transformou em mistério e assassinato.
Durante a leitura, formulei inúmeras teorias e possibilidades. A autora descreve as cenas de forma que nos coloca dentro da história. Em alguns momentos sentia que ela deixava coisas no ar para instigar o leitor, o que realmente fez comigo.
O desfecho não me deixou tão surpresa quanto esperava, talvez porque estava esperando algo mirabolante à la Harlan Coben. Mas independente disso, gostei do final e de como nos deixou à imaginação em alguns pontos. É uma leitura instigante que recomendo para os fãs de suspense.

One thought on “Resenha | O Homem de Giz, de C. J. Tudor

Deixe uma resposta