Resenha:

Apesar de amar Os Bridgertons, não posso negar que Os Rokesbys da Julia Quinn tem me impressionado cada vez mais. Sou apaixonada por Uma Dama Fora dos Padrões e, agora, sem dúvida alguma, Um Cavalheiro a Bordo se acomodou em um cantinho do meu coração.
No terceiro volume dessa nova série, iremos rever Andrew (um personagem que eu já amava) e conheceremos Poppy, ninguém menos que a prima da querida Billie. Tudo começa quando Poppy acaba entrando em uma caverna e se deparando com dois corsários que aparentemente estavam escondendo algo. Sem saber o que fazer com a jovem, os homens a sequestram e a levam para o Infinity, o navio do capitão Andrew James Rokesbys. Quando Andrew se depara com a mulher em sua cabine e descobre que ela encontrou seu esconderijo secreto, decide levá-la junto em sua viagem para Portugal, pois não podia correr o risco de que ela desse com a língua nos dentes.

❝Será que isso era amor? Será? Só o que ele sabia era que não conseguia imaginar um futuro sem ela.❞

 

Porém, essa decisão é muito arriscada, visto que a dama pode ter sua reputação arruinada caso descubram sua situação. E tudo apenas piora quando Andrew descobre que Poppy é ninguém menos que uma Bridgerton, uma família que tem laços fortes com a sua própria. E é assim que tudo acontece, com Poppy e Andrew dividindo uma cabine no navio e se conhecendo a cada dia melhor, apesar dos segredos que nosso capitão esconde.
❝Então simplesmente ficou parado, com a mão no cordame, dividido entre pensar na Srta. Bridgerton e xingar a própria incapacidade de parar de pensar na Srta. Bridgerton.❞

Preciso explicar que gostei do enredo, apesar de não achá-lo muito crível. Afinal, é bem esquisito que uma dama simplesmente fosse raptada desse jeito. Mesmo assim, sempre tento me desprender desses pensamentos e focar na química do casal e Andrew e Poppy tem, sim, muita química. Gosto quando as mocinhas retrucam e provocam, acho sempre mais divertido e estimulante durante a leitura. E Poppy é, sem dúvida alguma, uma Bridgerton com sua personalidade destemida e curiosa.

❝Ele a tomou nos braços e a beijou, com força e com fome. Como quem morre de fome.❞
O livro é fluido e divertido, com umas cenas quentes que confesso que curti ehehe. Além do mais, achei bastante inovador o fato de um romance de época se passar em um navio. Então, ponto pra esse detalhe!
Agora, quero saber se já leram Um Cavalheiro a Bordo e se gostaram. Me contem 🙂

Deixe uma resposta