Resenha:

 
Sempre amei distopias, mas essa foi a minha primeira experiência com um enredo sci-fi. Devorei Hannah em dois dias e o que preciso dizer é que esse livro foi uma viagem de descobertas e reflexões poderosas, daquelas que nos atinge em cheio no peito e faz com que fiquemos nos questionando por horas.
Afinal, quem somos nós?Tudo começa quando a cientista Camila Cassini capta áudios do espaço de uma astrofísica cinco séculos à frente: Hannah. Uma voz que vem do futuro e anuncia o fim da raça humana e um material necessário para evitar a extinção.
 
 

❝Independente de qualquer coisa, seu espírito precisa de um sonho.❞

Os capítulos são intercalados entre Camila e Hannah, duas mulheres incríveis e muito diferentes, mas com uma paixão em comum: a ciência. Durante o passar das páginas, vamos entendendo o que aconteceu na vida de Camila desde o surgimento dos áudios de Hannah, o que envolve diversas questões governamentais e religiosas.

Também entenderemos como Hannah chegou onde chegou, após deixar a filha na Terra e embarcar numa missão espacial com o propósito de salvar a humanidade. Porém, após uma reviravolta inesperada durante a viagem, ela começa a se questionar coisas muito mais profundas.

Duas histórias paralelas que se entrelaçam. Muitas perguntas e respostas que podem fazer tudo mudar.

 
❝Tudo parte de uma intenção de amor […] Amor guido pela paixão é a força mais poderosa que há. Essa é a nossa divindade.❞
 
 
Um livro que mostra a essência humana em diversos formatos, tanto os bons quanto os ruins, e o quanto nossa alma precisa de um sonho para continuarmos vivendo. Uma história cheia de mistérios e adrenalina, com um final que te deixa de queixo caído. Eletrizante, intenso e sensível, é assim que eu descreveria Hannah pra vocês. A escrita é fluida e intrigante, o que te faz devorar tudo rapidinho, o que é ótimo… afinal, “a vida é um sopro”.
 

Deixe uma resposta